Uncategorized

Era digital, 7 bilhões de pessoas no planeta, tecnologias acelerando ainda mais produções em massa e ao mesmo tempo, as máquinas tendo a capacidade de avaliar e promover análises de problemas e tomadas das decisões. Afinal, quais serão as competências efetivas para os profissionais do futuro?

 

Sim. O que é observamos é a reengenharia dos processos, modelos de aprendizado diversificados e sistema de análises estratégicas alteradas, tanto nas relações humanas como do trabalho. Mudanças gritantes nas movimentações do mercado. Como promover o posicionamento e ter comportamentos sinérgicos com as exigências mercadológicas emergentes. Sem esta concepção, manter as relações negociais e operacionais de trabalhos serão difíceis. Quando falamos em profissionais do futuro, temos que entender que existe todo um mecanismo de relações técnicas e emocionais existentes, ou seja, os novos padrões exigiram mudanças drásticas dos profissionais. Com a intensidade que a tecnologia está presente em nossas vidas, a velocidade das mudanças através da disruptiividade, pensar em padrões estáticos é fora da realidade. Afinal, você já imaginou quais serão os modos operantes das relações de trabalhos para ser sua atividade profissional nos próximos anos? Quem serão seus parceiros de negócios, onde será o local da atividade profissional e quais ações que as máquinas realizarão por você ou concomitantemente?

 

Compreender que existe uma mudança não apenas nas relações das atividades profissionais, mas, como serão as dinâmicas dos processos é a questão a ser observada. Quais os comportamentos que serão necessários nas relações intrapessoais e interpessoais dos profissionais do futuro?

 

Segundo estudos realizados (IFTF) sobre mudanças tecnológicas e profissionais para 2030, o mundo nos próximos anos, terá como diretrizes para as sustentações dos sistemas operacionais das atividades; interação entre seres humanos e máquinas. Seus parceiros serão robôs e seres humanos, os quais vão interagir no desenvolvimento das atividades profissionais.

 

Apenas para entendermos o impacto da pesquisa, segue as principais características citadas como competências para profissionais em 2030:

  • Marca Pessoal;
  • Dominar a Complexidade;
  • Colaborar com Máquinas;
  • Resiliência;
  • Construir sua Tribo;

 

A mudança é gritante para as relações funcionais.

 

Marca Pessoal. Afinal, qual será e como você vai será reconhecido no mercado. Lembre-se a população estimada para 2030 é de 8,5 bilhões de habitantes. Interagir, criar relação, saber quem são seus pares e onde vivem é o divisor de águas. Lembrando é claro, com a necessidade de colaborar com máquinas, pois elas estarão totalmente presente em nossas atividades. A pesquisa afirmar que o entendimento de como desenvolver equipes, as quais terão máquinas e homens ao mesmo tempo, é fundamental para os profissionais do futuro.

 

Inteligência Emocional. As relações do entendimento sobre si mesmo para controlar e entender a razão do existir, inclusive, pelas novas dinâmicas do mundo, será a grande tarefa a ser estabelecida.

 

Criar Tribos. Quem são e onde estarão seus parceiros e compradores. Não teremos mais um mundo restrito as nossas demandas geográficas do local onde moramos, mas sim, um mundo de oportunidades.

 

Os estudos das emoções dos comportamento humanos precisam ser cada dia mais avaliados pelos impactos que serão vindouros nos próximos anos.

 

Entender e preparar as pessoas para conseguirem viver neste mundo que vem se apresentado, é fundamental para que cada qual consiga promover a razão do conviver.

 

Prof. Laertes Wille

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

limpar formulárioPostar Comentário