Uncategorized

Todos já devem ter notado o crescimento das pessoas online neste período de confinamento, aumentando consideravelmente o número de lives, post, vídeos nas mídias sociais, ou seja, empresas se reinventando, e apostando em novas formas de relacionamentos e vendas através da utilização dos canais digitais. Sim, isto está ocorrendo efetivamente e devemos refletir como profissionais e empresários qual será nosso posicionamento digital neste período e como agregar de forma positiva na vida das pessoas, não permitindo cair nos processos idênticos e comuns das ações reativas da maioria das postagens.

 

Grande parte dos conteúdos estão em volta do covid 19, assunto este de grande valia, porém, o qual infelizmente vem saturando as pessoas por informações contraditórias e muitas vezes sem valor agregados efetivos. Por isto é o momento de criar conteúdos de valor, que acrescente algo novo, importante na vida das pessoas, deixarmos o assunto covid19 para os profissionais especializados das áreas de saúde, alinhando o foco de nossos esforços em construir informações dentro dos segmentos que atuamos, e qual somos especialistas, na busca do engajamento e conceito dos consumidores em relação aos produtos que vendemos, com a construção relacional com o mercado. Por exemplo:

 

  • Uma cabeleireira com o salão fechado, poderia criar vídeos ensinando as suas clientes a fazer uma hidratação no cabelo em casa, quais produtos utilizar;

  • Um coach financeiro ensinar a cuidar e repensar as finanças neste período;

  • Academias mostrando exercícios para os exercitar em casa entre outros exemplos;

 

É momento dos empresários solidarizar e agregar informações de valor e estarem presentes neste momento lado a lado com seus clientes, de maneira elegante e fundamental para construção relacional com aqueles que são foco do negócio.

 

A melhor forma de mostrar que você está ao lado deles, é através do conceito interativo, pois, estabelece uma condição de parcerias e não apenas vendedora sobre eventos comerciais.

 

O alcance orgânico nas redes sociais é definido pelo número de pessoas que seu conteúdo chega de forma gratuita, os índices mostram que em média o número varia de 2% a 5% da sua audiência, contudo, o alcance pago é quando a empresa investe um determinado valor para que seu material atinja mais pessoas, de forma a pulverizar as informações através da intervenção financeira.

 

A questão a refletir no momento é que se o alcance orgânico da empresa está diminuindo neste período em que todos estão online, pode-se concluir que fora o setor econômico, existe um desinteresse sobre as postagens disponibilizadas em suas redes. A condição demonstra ou sinaliza a necessidade de rever conceito, pois, o questionamento a ser feito é o porquê tantas pessoas conectadas e o apelo racional diminuído, ou seja, será que os conteúdos e produtos que estão sendo oferecidos, através dos eventos comerciais e relacionais são desinteressantes, não proporcionando atratividade? O conteúdo que seu público deseja consumir neste momento está tendo o impacto necessário?.

 

É de extrema importância analisar o pensamento dos consumidores no período, entendendo suas dores e emoções, para que as ações efetivas de marketing atendam as expectativas dos clientes. A pergunta que precisa ser feita é: o que você está postando nas redes sociais está indo ao encontro com que as pessoas querem agora? esta agregando valor na vida delas?

 

A quarentena está fazendo com que as consumidores regressem as redes sociais como facebook, linkedin, instagram alcançando grandes números de acesso, transformando o valor em publicidade mais barato, a lei “oferta e demanda”. No Facebook, por exemplo, o preço médio da publicidade já reduziu 35% em relação ao início da pandemia. Isto quer dizer que os anúncios estão ficando cada vez mais baratos e interessantes a serem vinculados, contudo, não estão atingindo os resultados empregados pelas empresas, pela falta de engajamento dos clientes.

 

A hora é de aproveitar a oportunidade, posicionar-se dentro do mercado de atuação e marcar sua presença online forte e contundente, para que os efeitos das condições existentes, deixem de serem apenas problemas, mas sim uma oportunidade para reinventar as estratégias de negócios.

 

Segue alguns dados publicados pelo facebook:

 

  •  Aumento de cerca de 50% do número de mensagens trocadas entre utilizadores em alguns países;

  •  Nos países mais afetados pelo Covid19, as chamadas de voz e as chamadas de vídeo aumentaram o dobro no Messenger, bem como no WhatsApp;

  • O Facebook registou um acréscimo de 70% no tempo na permanência dos utilizadores das suas redes sociais;

  • No Instagram e no Facebook, as visualizações das Lives tiveram um aumento de 50%, só na última semana;

  • As chamadas em grupo, com 3 ou mais pessoas, tiveram um impressionante aumento de cerca de 1000%, só no último mês.

 

Fonte: https://about.fb.com/news/2020/03/keeping-our-apps-stable-during-covid-19/

 

Esta queda dos valores pagos na publicidade não tem a ver com as pessoas não estarem comprando, e sim pelo fato de muitas empresas pararem os patrocínios pensando que as pessoas não iriam comprar. O que ocorreu na prática, quem continuou fazendo anúncios está obtendo melhores resultados a menor custo.

 

A recomendação neste momento é pensar como poderá ajudar seus clientes, avaliando quais as informações podem agregar valor na vida deles, e o quão importante serão suas contribuições a fim de colaborar efetivamente no crescimento mutuo. Assim, conquistará novos clientes, e mesmo que eles não comprem seus produtos inicialmente, a empresa demostrará credibilidade no mercado, pelo posicionando elegante e continuado no mercado, sendo presente na vida deles, ou seja, ancorando sua marca no inconsciente. Após as diminuições das intempéries, consequentemente haverá o reaquecimento do mercado, momento o qual os consumidores estarão aptos a lembrarem dos posicionamentos recentes e efetivos, além das contribuições disponibilizadas durante as condições de dificuldades, sendo buscada em seus mindset, quais empresas não apenas somente quiseram “vender” para eles, e sim tornaram-se referências em todos os eventos ocorrido, parceiros comerciais e social. A diferença entre o comum e o diferenciado.

 

Outra dica importante é consistência e frequência! O meio digital requer estratégia como qualquer plano de ação empresarial. É uma ferramenta empresarial. Necessita ter metas das publicações e frequências, lembrando das inúmeras formas e variáveis em postagem, analisando as preferências do seu clientes.

 

Por exemplo: algumas pessoas preferem textos, outras vídeos, lives, memes. Ser focado e alternativo, para atender a maioria dos consumidores de formas divertidas em transmitir informações, é fundamental. Existem inúmeras formas para postagens dos conteúdos, priorizando a qualidade dos pôsteres, atendendo as expectativas dos consumidores conforme perfis existentes das avaliações das estratificações das pesquisadas que a empresa tem. As características dos seus clientes, precisam sempre serem lembradas em qualquer ação de negócio a ser desenvolvida.

 

Aproveite o momento para pensar fora da caixa e ver as inúmeras possibilidades que o meio digital pode oferecer!

 

Faça das dificuldades o grande impulsionador para reinventar suas crenças e valores comerciais.

 

“O melhor dia para reinventar-se e ser diferente é hoje”!

 

 

Um Abraço,

Suelen Mota

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

limpar formulárioPostar Comentário