Uncategorized

O Assessment tem como objetivo apresentar um programa que proporcione a busca no desenvolvimento de estruturas adequadas ao crescimento pessoal e profissional de cada coachee, avaliando sempre necessidades especifica. Ela proporciona um sistema metodológico que desenha quais competências são necessárias a serem ampliadas na realidade de cada profissional. Entender a cultura organizacional e o perfil comportamental dos participantes deve ser premissa básica. É imprescindível compreender que o programa parte do pressuposto da aplicação de uma estrutura lógica para a melhoria do coachee, contudo, as ferramentas precisam estar identificadas aos padrões comportamentais dos que estão buscando melhorar suas expertises. Uma das grandes dificuldades e problemas na aplicação da técnica é promover trabalhos antes de ser ter a leitura clara dos valores e modelos de mundo de cada profissional.

 

O programa de Assessment tem como objetivo fornecer informações que aumentem a possibilidades dos resultados, buscando instalar comportamentos que se fazem necessários nos coachee para melhorarem seus desempenhos. O objetivo é desenvolver técnicas que permitam minimizar os riscos, através de escolhas planejadas, verificando quando que o novo comportamento tem de efetividade na maximização de resultados. A ferramenta objetiva promover um novo padrão de comportamento; mais consistente; por conseqüência aumentando do desempenho.

 

Mapear competências e estruturas dos profissionais que buscam a ferramenta é condição inicial para que seja possível estabelecer um sistema de desenvolvimento adequando aos comportamentos dos treinados. Esta fase é de suma importância, pois, possibilita-se ter uma visão de como são criados os padrões dos coachee através de seus filtros e modelos mentais.

 

A técnica visa desenvolver as pessoas por meio do levantamento e identificação de competências que precisam ser trabalhadas, frente as suas necessidades pessoais e organizacionais para o desempenho da função organizacional ou estabelecimentos de novos comportamentos sociais.

 

O Assessment proporcionar ferramentas que auxiliem o coachee a atingir os objetivos traçados durante o programa. A premissa é identificar e gerenciar o desenvolvimento pessoal ou profissional com exercícios que potencializem resultados. O objetivo é proporcionar que o coachee entenda que o resultado depende 100% de seu engajamento. Em momento algum o coach deve sugestionar o que precisa ser feito. É o coachee que precisa identificar posturas, ferramentas e atitudes necessárias para promover mudanças em sua vida. Sem esta premissa de desenvolvimento o programa foge de seu cunho principal, o qual visa oferta ao profissional uma função ativa de melhoria comportamento e não uma situação passiva de conhecimento. Ele precisa saber o que deseja e como vai buscar mudanças em seus valores. Sem este conceito de desenvolvimento, a ferramenta deixa de ser considerada Assessment e sim outras modalidades de desenvolvimento.

 

Ao identificar gaps existentes, deve se trabalhar sistemas que busquem promover melhoria de resultados. As competências precisam ser mapeadas para que o coach entenda o que o treinando busca. Este ponto é fundamental para que não seja realizado um trabalho de desenvolvimento no efeito do problema, o qual é denominado ponta do iceberg. O porquê da observação!

 

“As interações a serem observadas para melhorias e efetividades dos processos, são as situações causais para a solução dos problemas, e não efeitos observados nas pontas de consumo. A maioria do seres humanos trabalha nas concepções de melhorias na ponta do iceberg (efeitos), e não na base do mesmo (causas). A ponta representa a conseqüência dos desvios, e ele pode ser impulsionado por diversas formas e aspectos existentes na realidade de cada colaborador e consumidor. Resolver problemas oriundos de efeitos é atuar na situação de forma paliativa da condição para solução e não no foco gerador dos atributos da não conformidade. Um exemplo que pode ser referido ao fato citado, para auxiliar na concepção e materializar o processo de forma prática seriam a seguinte analogia”. (WILLE, 2019).

 

“Quando você esta adoentada você normalmente toma algum remédio para curar o mal estar. Avalie. A indisponibilidade é uma causa ou um efeito do problema. Ela foi adquirida em virtude de qual fator gerador. Justamente ao tomarmos um remédio para esta anomalia clínica estaremos resolvendo o problema momentaneamente (efeito), pois, a condição traz situações de desconfortos. Agora para agir de maneira efetiva e ação duradora do motivo que leva a adquirir o mal estar, por exemplo, a baixa imunológica, na busca de evitar novos eventos, seria aumentar a imunidade. O problema a ser relacionada é o que esta causando a diminuição da defesa do corpo, tornando-o suscetível a anomalia e não a não conformidade.” Situação Fictícia. (WILLE, 2019).

 

A citação demonstra a importância de entender o que realmente interfere nos resultados. A maioria dos profissionais desenvolve soluções nos efeitos e não nas causas, fazendo com que os resultados sejam minimizados em virtude de não identificarem o que realmente interfere no crescimento dos resultados.

 

Com a condição entendida calibrar o coachee e identificar a natureza dos desvios da não conformidade é premissa imprescindível para que o programa consiga promover uma melhoria real e instalação significativas de mudanças dos comportamentos.

 

A interpretação e entendimento da especificidade dos gaps devem ser mapeados pelo coach para que a técnica tenha os fins esperados. Um dos cuidados no Assessment é não permitir que o coachee desenvolva atributos que não fazem parte ou são significativos para solução dos problemas. Em PNL é denominada de alucinação. Quando ocorre esta não conformidade o questionamento precisa ser desenvolvido, objetivando trazê-lo novamente para o foco da questão. Uma ferramenta que pode ser utilizada é a seguinte: “vamos fazer uma SOPA”. O objetivo é demonstrar o que é necessário para a construção da refeição e questionando-o se o que ele esta informando tem aplicabilidade para o desenvolvimento dos gaps buscados.

 

Promover a flexibilidade e criatividade é de máxima importância para que estes recursos sejam instalados. Estabelecer novos padrões é necessário, pois, o objetivo é promover novos comportamentos. Caso continue fazendo as mesmas coisas terão sempre os mesmo resultados. A famosa frase de sair da zona de conforto.

 

O estabelecimento do rapport é básico. Sem esta situação observada querer qualquer alteração de padrão é sem fundamento. A sintonia demonstra a confiança mútua e sensibilidade dos envolvidos na busca de melhorias. A denominação do estamos juntos precisa existir efetivamente.

 

Outra condição a ser observada é a de fixar metas. Saber o que você quer sempre será a palavra chave para o sucesso. Quanto mais preciso você for, identificando o que é que você quer e o porquê, é mais provável que consiga. A definição do recurso permite também entender se atingiu a meta e caso necessário a retroalimentação para novas variáveis a serem desenvolvidas para conseguir o objetivo.

 

 

 

“Quem não sabe o que quer, qualquer resultado serve”.

 

 

O Assessment tem como objetivo promover um processo de melhoria no máximo em quatro encontros. A identificação dos gaps causais e a importância do significado da mudança para o coache em sua vida pessoal e profissional é de total relevância. Os profissionais envolvidos precisam mapear rapidamente as considerações que dificultam suas relações e motivos que os desvios existem. Com esta identificação instalam-se recursos e aplicam exercícios de comportamentos, objetivando melhoria nos resultados. Mapear e gerenciar constantemente os desenvolvimentos são fundamentais para validação do programa. A aplicabilidade é à base da técnica. Conhecimento sem ação não serve para nada. O programa é prático e sem esta consciência, promover a ferramenta é algo infundado.

 

 

Prof. Laertes Wille

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

limpar formulárioPostar Comentário