Uncategorized

Você pode saber tudo sobre as melhores palavras para persuadir alguém, a linguagem corporal que precisa adotar e até mesmo saber o que a pessoa deseja ouvir, contudo, caso não faça a leitura do momento para usar as ferramentas adequadas, não adianta nada, pois, os estados emocionais dos envolvidos precisam ser observados. As técnicas são um conjunto sistêmico e caso não o observe todas as variáveis, terá grande probabilidade de não conseguir os resultados esperados.

 

As abordagens são fundamentais, pois, a condição inicial da aproximação faz toda a diferença em uma negociação. Existe uma ditado em marketing: “você não terá nunca a segunda chance de criar um primeira boa impressão”.

 

Utilizar sistemas representacionais que possibilitam a criação do acesso da permissão, e ao mesmo tempo promove atalhos mentais (gatilhos) que auxiliam significativamente a potencialização nas abordagens. Esta ferramenta permite um aproximação e a reciprocidade ao negociador, através do estabelecimento da cordialidade e sentimento de elegância na troca das informações, ou seja, falar a linguagem de quem ouve faz toda diferença.

 

Quem precisa ser convencido não é Você!

 

Quais são suas características mais contundentes. É um bom redator? Sabe usar exemplos contundentes para convencer alguém? O carisma extremamente elevado!

 

Quer convencer alguém? Use os seus pontos fortes com elegância, mas lembre-se, não é você que precisa ficar satisfeito, precisa entender como a outra pessoa funciona e o que é importante para ela.

 

A pessoa que você deseja convêm-se é que precisa promover significado. São os modelos mentais e caraterísticas do interlocutor que precisam ser observados, para que possa potencializar a reciprocidade.

 

As capacidades que temos são fundamentais, entretanto, precisa observar o que é importante para o outro. Os negociadores são diferentes, pensam, tem maneiras e desejos diferentes e precisam serem trados em seus padrões e modelos mentais.

 

Para convencer alguém precisa falar “a língua da pessoa”. Não adianta utilizar estratégias que não são significativas para quem ouve. É necessário falar a língua da outra pessoa, ou seja, o que ela entende, como entende e o que é realmente importante.

 

Empatia/Rapport. Conceito utilizado e citado comumente, e que é a chave para promover e despertar a vontade na outra pessoas dos sentimentos que deseja transferir. Coloque-se no lugar do seu ouvinte e imagine como e o que ele ou ela gostaria de ouvir.

 

O importante não é o que fala, mas como fala. Lembre-se: tem que ser importante e significativo para quem ouve e não para que fala.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

limpar formulárioPostar Comentário